• Autor citado no texto

Decisão do STF sobre correção de processos pode gerar impacto bilionário

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em 03/10/2019, que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E) deve ser usado como marco de correção nos processos em que cidadãos tem créditos a receber da Fazenda pública. 

A decisão é uma derrota para o governo, que defendia o uso da Taxa Referencial (TR) para correção monetária. A decisão pode gerar um impacto bilionário nos cofres públicos. A correção pelo IPCA-E de ações judiciais contra o herário público, estava suspensa pelo ministro Luiz Fux, até que o Supremo avaliasse se valia também para os casos anteriores.

De acordo com um levantamento da Advocacia-Geral da União (AGU), o impacto aos cofres públicos poderia chegar a R$ 40,8 bilhões somente nas ações que tramitavam na Justiça Federal entre 2011 e 2017. No entanto, a Corte determinou que o IPCA-E deve valer a partir de 2009..

O ministro Gilmar Mendes alertou para o impacto econômico, e disse que o Tribunal deveria trabalhar para o equilíbrio econômico e fiscal do país. Além dele, Toffoli, Roberto Barroso e Luiz Fux votaram para uma modulação, ou seja, a definição de regras para aplicar a decisão nos processos.

No entanto, os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Marco Aurélio, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello foram contra. 

Autor: Renato Souza

Fonte: www.correiobraziliense.com.br

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ação de restituição do Plano Collor na Cédulas Rurais

O Plano Collor nas Cédulas Rurais foi sancionado em 1990, sob a lei Nº 8024 que declarou novos índices de reajuste para os saldos de cadernetas de poupança Rural do BTN (Bônus do Tesouro Nacional). Es

Revisão do FGTS 1999

Saiba como dar entrada no processo de revisão do saldo do FGTS A revisão do saldo do FGTS tem sido uma discussão recorrente entre os trabalhadores, e se tem cada vez mais se perguntado quem tem direit