• Autor citado no texto

A avaliação de empresas - um tema extremamente relevante para o empreendedorismo

A cada dia que passa, mais e mais empreendedores têm feito uso da avaliação de empresas, também chamado de valuation.


Como quase tudo que vendemos e que possui um valor relativamente mais alto, por exemplo, um carro ou uma casa, existem parâmetros relativamente claros de avaliação. No caso dos veículos, existem índices de preço que referenciam o valor de compra e de venda. E no caso de uma casa, também existem parâmetros de preço por metro quadrado em uma região ou outra.


Ainda assim, quase sempre fazemos uso de um avaliador de imóveis ou de um mecânico para certificar que o preço não está muito acima ou abaixo dos parâmetros de mercado.


Um dos desafios da avaliação de empresas é levar em consideração na estimativa de valor o impacto ambiental. Como um tipo de risco qualquer, a questão ambiental pode ser inserida na análise na taxa de desconto ou no fluxo de caixa.


Na segunda forma, no fluxo de caixa, o avaliador pode reduzir o montante que será gerado pela empresa. Mas esta não é a única forma. Avaliando a empresa pelo equivalente ao caixa, o analista pode estimar o fluxo de caixa com uma taxa sem risco, e sobre o valor, multiplicar uma equivalente certeza de caixa. Para refletir a questão ambiental, este equivalente - usualmente menor que 1 - deve ser inferior ao que seria calculado em uma situação normal.


No entanto, o valuation não serve somente para avaliar um negócio no momento de vendê-lo. A outra função dele é permitir que o empresário saiba como está a saúde da empresa. Isso porque o processo e o resultado da avaliação de empresas, fornecem ao empreendedor um panorama geral da empresa em seus aspectos financeiro e contábil, além de insights sobre como melhorar a performance do negócio.


Com isso, muitos empresários têm buscado realizar o valuation de seus negócios, ainda que não tenham o objetivo imediato de vender a empresa.


Ao fazer a avaliação da sua empresa, o empresário precisará realizar uma análise financeira completa da empresa e do ambiente no qual ela está inserida. Isso permite encontrar erros, falhas e desperdícios, entender seu posicionamento, analisar cenários, identificar oportunidades e ameaças, evidenciar problemas e corrigir processos.


Ao obter um panorama geral e conhecer a situação que a empresa se encontra, o gestor torna-se capaz de tomar melhores decisões. Isso permite que ele se planeje de forma mais adequada para obter um desempenho melhor.


Além disso, uma avaliação periódica permite mensurar o valor do negócio e comparar com números anteriores. Com isso, é possível avaliar o desempenho da organização ou o resultado de decisões já tomadas. Isso é valioso para que a empresa corrija falhas, alinhe as estratégias e escolha caminhos cada vez mais rentáveis. Por fim, é possível saber se os números estão de acordo com empresas semelhantes.


Para a compra e venda de empresas


Já pensou em vender sua empresa? Saber o valor da sua empresa é fundamental para qualquer empreendedor. Além de ser uma informação crucial para gerenciar o negócio, saber responder quanto vale sua empresa permite que o empresário consiga avaliar uma proposta oferecida por um comprador, quando surgir a oportunidade de venda da empresa.


Valores altos demais podem afastar oportunidades valiosas, já valores baixos demais, significam perda de dinheiro comparadas ao valor real do negócio. O objetivo é encontrar o valor mais próximo da realidade.


Além disso, a avaliação da empresa permite alinhar as expectativas de valor com base em dados e evidências mais fundamentadas. Isso evita que fatores subjetivos e vínculos emocionais interfiram no valor estimado. Assim, o dono do negócio não perde oportunidades por desconhecimento, já que consegue arbitrar um valor justo para a venda. Incrível, não é?


A avaliação de uma empresa também é importante para compradores e investidores. Com o valor em mãos é possível entender como aquele negócio se configura, para tomar melhores decisões e evitar cometer erros.


Avaliação de empresas no processo de compra e venda


Para a avaliação de empresas, o exemplo também é oportuno. O valuation é um item importante no processo de compra e venda de um negócio. O objetivo dele é atribuir ou arbitrar um valor justo de venda do negócio.


Um preço além dos preços de mercado pode fazer com que o proprietário do negócio não encontre nenhum interessado. Por outro lado, um preço muito baixo não tem vantagem alguma. Essa é a importância da avaliação de empresas.


Como fazer a avaliação de empresas


Estabelecer o preço real de um negócio nem sempre é tarefa simples. Existem duas formas de fazer isso: a primeira é fazendo você mesmo, e a segunda é contratando um profissional para isso, que pode ser uma empresa/consultoria ou um avaliador de negócios independente.


Consultores profissionais fazem uso de diferentes métodos ou abordagens de avaliação, mas as principais são três: Fluxo de Caixa Descontado, Valor Patrimonial e Múltiplos de Mercado.


Quanto tempo leva para avaliar um negócio


Essa talvez seja a pergunta mais difícil de ser respondida, pois a avaliação empresarial depende tanto do avaliador, quanto do empresário. Isso porque o valuation é baseado em informações do negócio, que devem ser repassadas pelo proprietário.


Apesar disso, podemos estimar com certo grau de acerto que o tempo médio para avaliar um negócio é entre um e dois meses, a partir da entrega das informações solicitadas pelo consultor ou avaliador. Portanto, se você tem pressa, é fundamental ter todos os dados preparados e organizados com antecedência.


Como é feito o valuation


Quando se contrata um avaliador, o primeiro passo é agendar uma reunião ou entrevista com o empresário para compreender suas necessidades, planos, a organização das informações.


Após essa primeira etapa, o consultor irá iniciar a avaliação, analisando os dados financeiros, o mercado onde o seu negócio atua e a estratégia da empresa. Parte do desafio é analisar o fluxo de caixa, projetá-lo em 5 ou 10 anos e trazê-lo a valor presente.


Se a sua empresa possui muitos ativos tangíveis, como máquinas e equipamentos, será necessário fornecer também um inventário para que os avaliadores considerem esses ativos.


Na fase de produção da avaliação, os consultores poderão e deverão entrar em contato com o empresário para tirar dúvidas e complementar as informações repassadas. Isso é totalmente normal pois a empresa vai sendo descoberta à medida em que se avançam no valuation.


Quanto custa avaliar uma empresa

A opção de contratar uma consultoria ou avaliador independente é, sem dúvida, a melhor delas, se você tem recursos disponíveis. Um avaliador profissional é capaz de apresentar um relatório detalhado sobre as finanças da empresa e, inclusive, indicar caminhos para valorizar o negócio.


Busque imparcialidade

Contratar ou realizar uma avaliação empresarial exige imparcialidade. Mas existem avaliadores que vendem o serviço de valuation, e acabam entregando o valor que mais agrada ao empresário. Em outras palavras, esses consultores simplesmente buscam justificar o preço que o proprietário quer, ou espera ter.


Esse tipo de avaliação terá tanto valor quanto um peso de papel. Por isso, enquanto proprietário, busque avaliadores imparciais e de qualidade, que lhe dirão a verdade sobre seu negócio. Não busque consultores para “forçar” um preço que a empresa não vale.


Valor patrimonial contábil


Como o próprio nome adianta, trata-se de uma avaliação conforme o valor contábil da empresa, conforme o seu patrimônio. O valor é encontrado a partir da soma de todos os bens e direitos da empresa, diminuído de todas as suas obrigações vencidas e vincendas, ou seja, é a diferença entre o Ativo e o Passivo Exigível registrados no Balanço Patrimonial da Empresa. É muito semelhante a uma apuração de haveres e é utilizada, geralmente, quando da necessidade de transação entre os sócios e ou como ponto de partida para uma negociação mais profunda.


Entre algumas críticas a este modelo, podemos citar que ele não leva em conta uma série de fatores, que certamente irão impactar no valor da empresa, tais como eventuais contratos assinados, bens oferecidos em garantia, entre outros inúmeros casos, que podem afetar o patrimônio das empresas, mas por não terem interferido ainda, não são classificados como fatos contábeis e, por isso, não são representados no Balanço Patrimonial.


Além disso, devemos lembrar que os registros contábeis são feitos, em regra, com base em valores históricos, o que pode defasar (e muito) os valores encontrados a partir desse método de avaliação. Apesar dos CPCs e NBCs estabelecerem técnicas para corrigir isso, o método não avalia a aplicação ou não destas técnicas, o que pode fazer com que a avaliação fique incorreta, simplesmente porque os valores contábeis não refletem, com fidedignidade, o valor efetivo dos bens, direitos e obrigações.


Avaliação por Múltiplos Comparáveis


A Avaliação por Múltiplos Compráveis, ou Avaliação Relativa, ou ainda, simplesmente Avaliação por Múltiplos, consiste basicamente na comparação com outros negócios semelhantes existentes no mercado. Para tanto, deve-se buscar empresas que atuem no mesmo segmento do mercado, com portfólios semelhantes, e que atendam o mesmo público-alvo, além de, claro, possuir informações confiáveis para serem comparadas.


Normalmente, a comparação é feita a partir da razão do seu valor de mercado pelo seu Faturamento, Lucro Líquido ou EBITDA, encontrado, então, um índice (número múltiplo) adequado para aplicar sobre o EBITDA, Lucro Líquido ou Faturamento da empresa avaliada.


A principal dificuldade deste método é encontrar empresas perfeitamente comparáveis, com informação fundamentada para a sustentação matemática, além disso, claro, não leva em conta as particularidades de cada empresa.


Fluxo de Caixa Descontado


A metodologia mais aceita para avaliar pequenos e médios negócios, contudo, é o Fluxo de Caixa Descontado, pois considera os detalhes de cada empresa avaliada, como nenhum outro método aqui citado o faz.


Por isso mesmo é um método mais elaborado, nele se avalia a capacidade da empresa gerar recursos para, no mínimo, os cinco anos futuros (fluxo de caixa projetado), descontado de uma taxa que reflita o risco inerente à atividade econômica.


O principal problema do método é que ele se alicerça em premissas, isto é, informações aceitas como verdadeiras, e todo o cálculo parte disso, embora não seja possível garantir com absoluta certeza a validade dessas premissas. Por isso, definir premissas confiáveis e razoáveis é de fundamental importância para o método, o que só é conseguido por meio da análise minuciosa das Demonstrações Contábeis, que por isso mesmo precisam ser muito bem elaboradas.


Determinadas as premissas, a avaliação precisa se concentrar no planejamento estratégico e nas projeções futuras da empresa, calculando seu fluxo de caixa atual e o projetando com uma taxa de desconto razoável para os seus riscos inerentes, levando em conta o crescimento médio e esperado da empresa, as possibilidades de expansão ou retração do mercado, a concorrência, as possibilidades de regulamentação e outras interferências externas, etc.

Laudo de avaliação de empresas


O resultado do valuation é compilado em um documento, chamado Laudo de Avaliação da Empresa. Esse documento apresenta os seguintes itens:

*o valor da empresa,

*os dados do percurso da avaliação, e ainda perspectivas para o negócio percebidas durante o processo do valuation.


Durante a avaliação de empresas é possível identificar pontos fortes, aspectos a melhorar, os riscos e oportunidades (análise de SWOT).


Os dados e informações da empresa avaliada são mantidos sob sigilo, para se manter a confidencialidade.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ação de restituição do Plano Collor na Cédulas Rurais

O Plano Collor nas Cédulas Rurais foi sancionado em 1990, sob a lei Nº 8024 que declarou novos índices de reajuste para os saldos de cadernetas de poupança Rural do BTN (Bônus do Tesouro Nacional). Es